Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O presidente da Liga de Clubes, Pedro Proença, ainda não desistiu da venda em pacote dos direitos desportivos dos clubes portugueses, apesar do negócio feito entre o Benfica e a NOS. Fonte da Liga adiantou ao jornal Expresso que, apesar do acordo celebrado pelos encarnados, Pedro Proença ainda vai tentar negociar em pacote a transmissão de um conjunto de jogos de clubes da I e II ligas nacionais.

Ao mesmo jornal, Luís Filipe Vieira descreveu a ideia como sendo de “quase impossível” aplicação: “Não foi só o Benfica que passou a encarar a centralização como um processo quase impossível. A própria Liga assumiu recentemente essa impossibilidade em documentos que foram partilhados com todos os clubes”, defendeu.

Recorde-se que o acordo entre a operadora e o clube da Luz tem “uma duração inicial de três anos”, mas “pode ser renovado por qualquer uma das partes até perfazer um total de 10 épocas desportivas”.

A centralização dos direitos desportivos foi uma das promessas eleitorais de Pedro Proença, que pretendia negociar a venda dos direitos desportivos dos clubes no seu conjunto, redistribuindo o montante pelos clubes, em função dos seus desempenhos e classificação final. Um modelo aplicado, por exemplo, na Premier League inglesa, ou na Bundesliga germânica.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Essa é uma das razões pelas quais Vieira não terá desejado a centralização. Ao Expresso, o presidente dos encarnados explicou que “o presidente da Liga nunca assumiu qualquer compromisso sobre verbas mínimas para os clubes”, o que parece ter sido um entrave para o Benfica apoiar a ideia.

O acordo entre o clube da Luz e a NOS, defendeu Vieira, “é bom para o futebol português e para os restantes clubes porque estabelece um novo referencial de valores que será certamente interessante para todos”. Certo é que o contrato celebrado entre as duas entidades foi um revés para Pedro Proença, que ainda assim não terá desistido ainda de avançar com a ideia.

Proença pode ainda enfrentar a oposição de FC Porto e Sporting quanto ao projeto. Isto porque, segundo o Jornal de Notícias, o FC Porto está a negociar a venda dos seus direitos de transmissão com a MEO e a NOS e o Sporting já terá recebido duas propostas de operadoras estrangeiras: a Eurosport e a FOX. O jornal adianta ainda que a Altice está a tentar garantir os direitos de transmissão do Boavista, Vitória de Guimarães e Belenenses.

O acordo já celebrado está ainda, contudo, sob a análise da Autoridade da Concorrência (ADC). Fonte da organização afirmou ao Expresso que esta “está a recolher informação relativa ao negócio em causa”, e garantiu que a ADC “não hesitará em agir, caso identifique situações que suscitem preocupações concorrenciais”.