478kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

A lula cor-de-rosa que vive no fundo dos oceanos

Este artigo tem mais de 5 anos

Uma equipa de cientistas norte-americanos conseguiu filmar uma lula luminescente de mar profundo, espécie raramente vista viva. Tem uma forte tonalidade cor-de-rosa, e os cientistas explicam porquê.

i

Retirada do Twitter: "Clive Thompson"

Retirada do Twitter: "Clive Thompson"

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Uma equipa de cientistas da Administração Nacional do Oceano e a da Atmosfera norte-americana revelou um vídeo de uma lula luminescente de mar profundo. A espécie, segundo dizem, raramente é vista viva. A filmagem mostra a lula, com uma forte tonalidade cor-de-rosa, a nadar pelas profundezas do Oceano Pacífico, junto ao Hawaii.

Segundo o diário britânico Daily Mail, a lula, filmada no passado dia 19 de setembro, tem um a dois metros de comprimento, e nada a uma velocidade de três a quatro quilómetros por hora. A publicação adianta ainda que a filmagem será utilizada para estudar o comportamento da espécie.

A equipa de cientistas conseguiu filmar a lula através de um veículo submarino, controlado de forma remota. Esta, crêem, foi atraída pelas luzes do veículo, unindo-se ao mesmo, mas evidenciando um comportamento agressivo. A equipa de investigadores ainda não sabe porquê.

Por ora, os cientistas acreditam que a forte luz cor-de-rosa emitida pela lula tem três propósitos: cegar as presas, iluminar as profundezas do mar, de forma a medir as distâncias enquanto nada, e mostrar-se recetiva a eventuais parceiros sexuais. A lula tem ainda um funil na parte inferior do seu corpo, que se assemelha a uns lábios vermelhos, e que “serve de propulsão” ao seu movimento, segundo o académico da Universidade de Louisiana, Scott France.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.