A adesão à greve desta terça-feira dos trabalhadores Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) devido à redução de 50% no pagamento do trabalho em dia feriado situa-se nos 30%, revelou Jorge Costa, do Sindicato Nacional dos Motoristas.

Em declarações à Lusa, o responsável sindical notou que a greve é uma forma de protesto por não ter sido reposto o pagamento a 100% pelo trabalho em dia feriado e que, “tal como nos outros feriados ao longo do ano”, a adesão dos funcionários da STCP se situa “entre os 30%”.

Jorge Costa revelou ainda que a 25 de dezembro, dia de Natal, a greve vai repetir-se “se, até lá, não houver evolução” quanto ao pagamento do trabalho em dia feriado. Os trabalhadores da Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) estão hoje a cumprir mais uma greve em protesto contra a redução em 50% das horas trabalhadas em dia feriado.

Esta é a penúltima paralisação do ano em dia feriado, depois de já em 2013 e 2014 os trabalhadores da rodoviária terem entregado um pré-aviso de greve para todos os feriados do ano. A greve teve início às 00h00 e decorre até às 24h00. Segundo Jorge Costa, do Sindicato Nacional dos Motoristas (SNM), na STCP não foi reposto o pagamento a 100% pelo trabalho prestado em dias de feriado.

A remuneração relativa às horas extraordinárias sofreu alterações nos últimos anos, devido a medidas implementadas pelo Governo liderado pelo social-democrata Pedro Passos Coelho.

Em 2012, através de uma alteração ao Código do Trabalho, o valor pago pelo trabalho suplementar foi reduzido para metade, contudo, desde 01 de janeiro deste ano, cumprindo a decisão do Tribunal Constitucional, o anterior governo deixou cair essa medida, sendo que os trabalhadores abrangidos por contratos coletivos de trabalho devem receber o pagamento a 100%.

Na segunda-feira foi decidido que vão ser apresentados novos pré-avisos de greve para o trabalho em dias de feriado em 2016, para além de já ter sido pedida uma reunião ao novo ministro do Ambiente, Matos Fernandes.