O treinador do Chelsea, José Mourinho, disse nesta terça-feira que está mais preocupado com a própria equipa do que com o FC Porto, cujo jogo na quarta-feira decide a continuidade de ambos na Liga dos Campeões de futebol.

“Neste momento, a minha equipa está numa fase em que é mais importante para mim o que nós fazemos do que propriamente estar preocupado com o adversário. Em condições normais, de nós estarmos com bons resultados e a ganhar, eu estaria mais preocupado com o FC Porto do que aquilo que estou”, admitiu hoje na conferência de imprensa de antecipação ao jogo de Stamford Bridge, da sexta e última jornada do Grupo G da Liga dos Campeões.

O técnico português tem estado ultimamente sob pressão devido aos maus resultados do clube londrino, que já acumulou 11 derrotas esta temporada e continua no 14.º lugar da tabela da liga inglesa, à beira dos lugares de despromoção.

“Neste momento estou é preocupado com a minha equipa, com os meus jogadores, com quem é quem vai jogar e como tentaremos jogar do que propriamente pensar no FC Porto. Muito honestamente, nunca me preocupei tão pouco com adversários como agora”, vincou.

Mourinho reconheceu que o principal problema da equipa está na falta de concretização, por isso quer jogar para ganhar marcando golos.

“Obviamente se chegarmos ao minuto 88 e estivermos empatados, obviamente que não é um jogo para correr riscos em busca de ser primeiro ou segundo quando se pode ser terceiro”, afirmou, rejeitando a hipótese de jogar para garantir o empate, suficiente para passar à próxima fase.

O técnico dos ‘blues’ continua “otimista” num desfecho positivo que evite ser relegado para a Liga Europa e ironizou sobre o facto de a derrota do FC Porto com o Dinamo de Kiev (0-2), na jornada anterior, ter determinado o facto de estarem agora ambas as equipas a discutir a qualificação.  “Obviamente que preferia já estar qualificado e que o FC Porto também estivesse qualificado e que jogássemos este jogo para decidir quem fica em primeiro e em segundo, mas o FC Porto não quis assim”, lamentou.

O português reconheceu que o Chelsea é favorito, não por jogar em casa, mas porque a importância deste jogo era um cenário previsível.  “Nós já estávamos à espera, depois de termos perdido no Porto e empatado em Kiev, de chegar ao último jogo para jogar isto, e o FC Porto, ao ter chegado à quarta jornada com 10 pontos, estava à espera de tudo menos disto”, vincou.

Os ‘dragões’ jogam a qualificação no Grupo G com os ‘blues’, necessitando de vencer em Stamford Bridge, enquanto que o conjunto de José Mourinho só precisa de empatar, pois tem vantagem num eventual igualdade de pontos com o FC Porto ou com com o Dinamo de Kiev.

Caso o Dinamo de Kiev não vença em casa, jogo que será realizado à porta fechada, os israelitas do Maccabi Telavive, a única equipa a zero na fase de grupos, seguem em frente portugueses e ingleses.