O laboratório da Fundação Antidoping da Suíça, que efetuou análises a atletas russos, foi ilibado das acusações de ter destruído irregularmente amostras sanguíneas, indica uma investigação interna divulgada segunda-feira. “Os resultados do inquérito interno ilibam o nosso laboratório”, refere um comunicado divulgado pelo centro de análises da Fundação.

No mesmo documento, o laboratório garante ter cumprido todas as regras da Agência Mundial Antidopagem (AMA) no que se refere à destruição de amostras negativas. A 12 de novembro, o laboratório suíço anunciou a abertura de um inquérito interno depois de ter sido acusado pela AMA de destruir irregularmente 67 amostras sanguíneas de atletas russos.

Na mesma altura, o laboratório explicou que em março de 2013 notificou a AMA por escrito da destruição das amostras, “no cumprimento dos procedimentos em vigor nos laboratórios acreditados pela AMA”, não tendo obtido “informação contrária” por parte da agência.

Um relatório da Comissão Independente (CI) da AMA, divulgado no início de novembro, recomendou a suspensão da Federação de Atletismo russa por práticas de doping, assim como a retirada da acreditação ao laboratório de Moscovo, cujo diretor foi responsável pela destruição de 1.417 amostras consideradas suspeitas de práticas dopantes.

A 26 de novembro, a Federação Internacional de Atletismo (IAAF) suspendeu a Federação Russa de Atletismo por uso sistemático de doping.