O tesoureiro do grupo extremista Estado Islâmico (EI) e outros dois altos responsáveis ‘jihadistas’ foram mortos em novembro último durante bombardeamentos conduzidos pela coligação internacional liderada pelos Estados Unidos, indicou hoje um porta-voz militar norte-americano.

Abu Saleh era “um dos responsáveis financeiros mais importantes e mais experientes” do grupo radical sunita, indicou o coronel Steve Warren, numa videoconferência a partir da capital iraquiana, Bagdad, precisando que o tesoureiro foi morto em finais de novembro.

“É o terceiro membro do núcleo financeiro do EI que matámos” recentemente, indicou o porta-voz militar.

“A morte dele e dos seus antecessores destrói o conhecimento e o talento necessário para coordenar o financiamento da organização”, acrescentou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O enviado da administração norte-americana para coordenar a campanha contra o EI (também designado pelo acrónimo árabe ‘Daesh’), Brett McGurk, também confirmou a morte de Abu Saleh, que descreveu como o “ministro das Finanças” do grupo radical sunita, através da rede social Twitter.

Numa mensagem na rede social, Brett McGurk indicou que Saleh foi morto “no âmbito de uma ação da coligação para destruir a estrutura financeira do EI”.

A partir de Bagdad, o coronel Steve Warren confirmou a morte, “também em finais de novembro”, de um outro elemento do EI que era responsável pela “extorsão” de fundos junto da população civil.

Também no mesmo período, de acordo com o porta-voz militar norte-americano, a coligação internacional matou um alto responsável do EI que coordenava “as transferências de informações, pessoas e de armamento”.