A Turquia decidiu multar o Twitter pela ineficácia em banir “propaganda terrorista” naquela rede social. A multa é de 150.000 libras turcas, o equivalente a 45,547 euros, aponta a BBC.

Não foram revelados detalhes sobre os conteúdos em questão e o Twitter não faz comentários. Mas os jornais avançam já com algumas ideias. A BBC diz que a multa decorre de uma conta com posts relacionados com um protesto político contra o governo turco. A CNBC consultou um analista do Twitter e avança que a multa está relacionada com a “demora do Twitter em eliminar fotografias de um procurador com uma arma apontada à cabeça” depois de se ter tornado refém num incidente em março. O procurador, Mehmet Selim Kiraz, foi depois abatido a tiro.

O Twitter já foi temporariamente bloqueado na Turquia, tal como o Facebook. Em março do ano passado, por exemplo, o Twitter foi bloqueado no país pelo primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan por causa de terem sido publicados “comentários” sobre o seu partido antes das eleições locais. A CNBC vai mais longe e refere que o bloqueio do Twitter nessa altura “deveu-se à publicação de gravações de áudio que alegadamente denunciavam corrupção no governo”.