O empresário Humberto Pedrosa, que através do Atlantic Gateway controla 61% da TAP, reúne-se na quinta-feira com o Governo, iniciando as negociações para que o Estado recupere a posição maioritária na companhia, disseram à Lusa fontes envolvidas nas negociações.

A reunião, que decorrerá no Ministério do Planeamento e das Infraestruturas, liderado por Pedro Marques, realiza-se na quinta-feira à tarde e será o primeiro encontro oficial sobre o tema, embora já tenham existido vários contactos entre o Governo e o empresário, explicou à Lusa uma das fontes contactadas.

Confrontadas com estas informações, tanto a fonte oficial do Ministério do Planeamento, como a do empresário Humberto Pedrosa preferiram não comentar.

Na semana passada, o ministro Pedro Marques já tinha referido que o processo negocial se tinha iniciado.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Já começámos o processo negocial que necessariamente envolve os acionistas, mas que está em desenvolvimento e não quero falar dos detalhes do mesmo nesta fase”, afirmou o ministro no dia 09, à margem do 9º. Congresso Nacional da Contratação Pública Eletrónica, no ISCTE-IUL, em Lisboa, o primeiro ato público do governante.

Questionado pelos jornalistas sobre a reversão da privatização da TAP, Pedro Marques adiantou que o processo de negociação com os acionistas da Atlantic Gateway, David Neeleman e Humberto Pedrosa, já arrancou, esperando que se concretize com “a rapidez possível para a TAP ter estabilidade e continuar a crescer”.

O acordo de conclusão da venda direta de 61% do capital da TAP foi assinado no dia 12 de novembro entre a Parpública, empresa gestora das participações públicas, e o agrupamento Gateway, na presença da então secretária de Estado do Tesouro, Isabel Castelo Branco, do então secretário de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicações, Miguel Pinto Luz.