As telas “Maria da Fonte”, de Júlio Pomar, e “Arlequim, Bailarina e Cavalo”, de Almada Negreiros, vão esta quarta-feira a leilão, pelo Palácio do Correio Velho, em Lisboa, ambas com uma base de licitação de 150 mil euros.

De acordo com a leiloeira, neste primeiro dia do leilão, que tem início às 19h30, estarão em destaque “Maria da Fonte”, pintado em 1957, e “Arlequim, Bailarina e Cavalo”, pintado em 1953.

Dos 614 lotes do Leilão de Antiguidades e Arte Moderna e Contemporânea – que decorre durante três dias – estão estas duas peças em destaque, sendo que a obra “Maria da Fonte”, de Júlio Pomar, é considerada a última obra do período neorrealista do autor, atualmente com 89 anos.

Contactada pela agência Lusa, fonte da leiloeira indicou que, até ao momento, “o Estado ainda não demonstrou interesse” na aquisição.

Trata-se de um óleo sobre aglomerado com 121 centímetros por 180 centímetros, que representa várias figuras de trabalhadores rurais, e a proveniência é da Coleção Humberto Pelágio, de Lisboa.

Raramente exposta, segundo o Palácio do Correio Velho, esta obra participou apenas em 1957, na 1.ª Exposição da Fundação Calouste Gulbenkian e, depois, em 2004, na retrospetiva do Museu Berardo, em Sintra, intitulada “Autobiografia”.

Quanto à pintura de Almada Negreiros (1893-1970) – “Arlequim, Bailarina e Cavalo” -, foi encomendada por uma família lisboeta, com casa no Restelo, em Lisboa. Assinado e datado de 1953, o quadro mede aproximadamente 200 centímetros por 100 centímetros.