O Presidente russo, Vladimir Putin, ameaçou a Turquia de derrubar os seus aviões se estes voltarem a entrar no espaço aéreo da Síria, onde a Rússia instalou mísseis antiaéreos S-400.

“Se antes a aviação turca voava e violava permanentemente o espaço aéreo da Síria, faça-o agora”, afirmou Putin, na sua conferência de imprensa anual, transmitida em direto pela televisão.

Putin disse que com o “ato hostil” recente de derrubar na fronteira síria o bombardeiro russo S-400 a Turquia apenas conseguiu que a Rússia intensifique os seus bombardeamentos contra o grupo radical Estado Islâmico e reforce a sua presença militar no país árabe.

“Para que o fizeram? Não compreendo. Pensavam que íamos fugir? Claro que não. A Rússia não é um desses países. Aumentámos a nossa presença, o número de aviões. Não havia sistemas de defesa antiaérea e agora instalámos os S-400”, disse.

Putin disse ainda que é “praticamente impossível” chegar a um acordo com os atuais dirigentes turcos, numa referência ao Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, que recusa desculpar-se pelo derrube do avião russo, como exige Moscovo.

“A crescente islamização (na Turquia), que certamente faria dar voltas no túmulo ao próprio (fundador e primeiro Presidente da República da Turquia, Mustafa Kemal) Ataturk, também nos afeta. Na Turquia há guerrilheiros vindos do norte do Cáucaso”, disse.