Graffiti

Filho de José Sócrates apanhado a grafitar comboio em Lisboa

7.179

Aconteceu em 2013 e o processo foi arquivado em dezembro de 2014. A Sábado conta a história de Eduardo Fava, o filho mais novo de José Sócrates, na edição desta semana. Tinha na altura 17 anos.

MIGUEL A. LOPES/LUSA

Tinha uma mochila e quatro latas de tinta em spray e foi encontrado pela segurança da CP nas traseiras da estação de comboios de Campolide, em Lisboa. Tinha caído e magoado o pé direito. Aparentemente, era apenas mais um adolescente de 17 anos que tinha grafitado um vagão – e que, segundo uma testemunha no local, não parecia inexperiente -, até que as autoridades perceberam que era Eduardo Fava, filho mais novo de José Sócrates, conta a edição desta quinta-feira da revista Sábado. De acordo com os depoimentos das testemunhas, Eduardo não estava sozinho. Tinha grafitado o comboio com mais dois jovens. Apenas dois foram constituídos arguidos.

O acontecimento de 4 de maio de 2013 fez com que o jovem fosse alvo de um processo-crime pelo Ministério Público. Foi o advogado João Araújo que pegou no processo, que decorreu enquanto Eduardo viveu com o pai em Paris. Eduardo foi chamado a depor em outubro de 2013, mas a mãe informou as autoridades que não sabia quando o filho regressaria a Portugal. Como entretanto entrara em vigor a lei que descriminalizava os graffiti e passava a penalizá-los com contraordenações, a defesa alegou que Eduardo já pagara 813 euros de danos à CP, pelo que o processo foi arquivado em dezembro de 2014.

A Sábado tentou contactar os familiares de Eduardo, mas sem sucesso. O advogado João Araújo também se recusou a comentar. A história é contada poucos dias depois de três jovens terem morrido atropelados no apeadeiro de Águas Santas, na Maia, enquanto faziam um graffiti num comboio. A notícia é parte de uma reportagem alargada da revista sobre o mundo dos graffiters, um trabalho que é tema de capa da edição desta semana.

A capa da revista Sábado de 17 de dezembro de 2015

A capa da revista Sábado de 17 de dezembro de 2015

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: apimentel@observador.pt
Livros

Livros para o Natal (II) /premium

João Carlos Espada

Cinco sugestões de livros de autores nacionais para o Natal — mas não para a ‘época festiva’ ou para as ‘férias da estação’, como mandam as actuais directivas politicamente correctas.

Inovação

Transformação: o segredo da inovação /premium

Sebastião Lancastre

As sociedades caminham no sentido de desmaterializar o dinheiro, tornando-o invisível nas nossas vidas. Na Suécia há centenas de lojas que já dizem, à entrada, que não aceitam dinheiro físico.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)