No municipio espanhol de Morella (Valência), um grupo de paleontólogos fez uma importante descoberta numa pedreira de argila de onde se extrai materfial para azulejos. Em concreto os investigadores descobriram os restos de uma espécie de dinossauro até agora desconhecida.

Este exemplar descoberto viveu há cerca de 125 milhões de anos, calcula-se, nesta região que, por essa altura, era uma zona costeira com abundante vegetação e com clima tropical, conta o El Pais. Era herbívoro, tinha seis metros de comprimento, dois metros e meio de altura e pesava cerca de uma tonelada. Insere-se no género Iguanodon. Esta espécie de dinossauros possuía uma particularidade que os diferenciava de todos os outros: uma espécie de vela presente nas costas. Algo que esta nova espécie também possuía.

O dinossauro já tem nome: é o Morelladon beltrani. O que restava do esqueleto do animal, que estava bem conservado, permitiu concluir que este nunca tinha sido identificado. Os ossos da zona da anca foram fundamentais para revelar as características diferente de tudo o resto que já era conhecido, juntamente com oito traços característicos que confirmaram a novidade da descoberta publicada na revista PlosOne.

Um dos autores da descoberta, o paleontólogo na Universidad Nacional de Educación a Distancia em Espanha Fernando Escaso, afirmou ao mesmo diário espanhol que não se sabe “de que sexo era”, trata-se “provavelmente de um adulto”, mas é preciso mais estudos para “haver certeza”.

Escaso explica ainda que sabiam “que a fauna dos dinossauros de Morella era semelhante a outro locais da Europa contemporânea. No entanto, esta descoberta mostra um interessante aumento da diversidade iguanodontoid no sul da Europa há cerca de 125 milhões de anos”.