“O fundo de garantia já pagou seis milhões de euros às famílias das vítimas que morreram. E 771 mil euros para despesas de viagem ou estada dos seus familiares, aos feridos e respetivas famílias. O orçamento para a indemnização pode chegar a 300 milhão de euros “, disse Christiane Taubira, ministra da Justiça francesa, numa entrevista publicada hoje no jornal “Le Parisien”.

A ministra da Justiça indicou que a ajuda às vítimas esteve centralizada desde a noite dos atentados. Desde então foram recebidas 11.000 chamadas, além de mensagens de texto e de ‘emails’ nos 120 postos criados para ajudar os familiares das vítimas, afirmou. Baseados na experiência dos atentados perpetrados em janeiro contra o jornal satírico “Charlie Hebdo”, foi criado um número único para centralizar todas as consultas, acrescentou.

“Mas com 130 vítimas apercebemo-nos de que era necessário um centro físico”, afirmou a ministra, explicando assim a abertura do centro da Escola Militar em Paris. Taubira disse que 54 associações de vítimas colaboram com o Estado no acompanhamento do fundo dos afetados.