Dois suspeitos de pertencerem ao Estado Islâmico foram detidos esta quarta-feira na Turquia, transportando consigo 148 passaportes, um deles português, relata o jornal Expresso.

O semanário adianta ainda que informações vindas de media locais sugerem que os indivíduos tinham também passaportes de países como Alemanha, Grã-Bretanha, Irlanda, Dinamarca, Lituânia, Áustria, Bélgica, Polónia, Itália, Holanda, Roménia, Espanha, Luxemburgo e Rússia – para além de Portugal. A maioria dos passaportes apreendidos, contudo, era de cidadãos franceses.

Os documentos, que foram encontrados durante a revista feita à bagagem de um dos suspeitos, estavam escondidos “no interior de cinco minifornos de pizza portáteis”, relata o Expresso.

Um dos indivíduos detidos é um sírio de 58 anos, chamado Ahmad A., e o que o acompanhava um turco residente na Bélgica, Bahri Ö., de 54 anos. Os dois estavam já referenciados pelas autoridades por já terem viajado diversas vezes para zonas da Síria controladas pelo Estado Islâmico, o que levantou suspeitas às autoridades.

Informações vindas da imprensa turca, citadas pelo Expresso, acrescentam ainda que as autoridades estavam alertas para a chegada iminente de vários passaportes estrangeiros, que seriam posteriormente distribuídos a jihadistas presentes na Turquia. Os dois foram detidos no aeroporto de Ataturk, em Istambul.

Para além dos passaportes, segundo o Expresso, as autoridades turcas apreenderam ainda uma carta de condução francesa, duas canetas com câmaras ocultas, dez cartões telefónicos de operadoras da Turquia e de vários países europeus, e dezenas de pendrives. As autoridades querem agora saber como é que os suspeitos obtiveram os documentos que transportavam.