A guerra na Síria pode acabar em menos de um ano, mas os esforços para uma mudança de regime podem prolongá-la, disse ao fim de quinta-feira o Presidente sírio, Bashar al-Assad.

Em entrevista à televisão holandesa NPO2, o contestado líder sírio disse que apenas os apoiantes do regime — Federação Russa e Irão — estavam prontos a resolver a guerra na Síria, que dura há já quase cinco anos. “Nenhum deles, apenas a Rússia e o Irão e os seus aliados e outros países que apoiam politicamente o governo sírio (…), mas não o Ocidente, ninguém no Ocidente está pronto”, afirmou Al-Assad, que falou em inglês.

As suas observações ocorreram na véspera da terceira ronda de conversações globais em Nova Iorque entre 17 países, incluindo a Federação Russa e o Irão, com a intenção de terminar com o conflito. Mas Al-Assad disse que a guerra poderia acabar em menos de um ano, “se os países responsáveis agirem contra o fluxo” de estrangeiros que confluem na Síria.

“Mas o problema é que eles (os países adversários do regime) estão a apoiá-los diariamente (…) porque querem que a solução, que designam por solução política, seja a mudança deste Estado”, especificou.

“Portanto, isto vai arrastar” a duração da guerra, argumentou Al-Assad.