O Exército britânico vai permitir o destacamento de mulheres para combate na primeira linha no próximo ano, anunciou hoje o primeiro-ministro britânico, David Cameron.

“O ministro da Defesa (Michael Fallon) e eu estamos de acordo com que todos os postos das Forças Armadas estejam abertos às mulheres em 2016”, afirmou Cameron numa entrevista ao The Sunday Telegraph.

“Já levantámos diversas barreiras no Exército, como a inclusão de mulheres em tripulações de submarinos e a chegada de mulheres aos mais altos cargos (…). Devemos terminar este trabalho permitindo às mulheres a adoção de posições de combate”, adiantou.

As Forças Armadas britânicas iniciaram em 2014 uma revisão sobre as características físicas requeridas aos soldados para serem enviados para a primeira linha, estando previsto que as conclusões de um relatório sobre o assunto sejam conhecidas em meados do próximo ano.

O anúncio do Reino Unido segue-se à decisão adotada este mês pelos Estados Unidos que permitirá às mulheres participarem em todas as unidades de combate do Exército.

O Executivo britânico prevê que no outono de 2016 as mulheres possam começar a incorporar-se nos treinos para posições na frente de batalha.

Cerca de 20% dos cargos nas Forças Armadas do Reino Unido estão vedados às mulheres, que representam 10% dos efetivos militares.