O secretário-geral do PSOE e candidato a presidente do Governo espanhol, Pedro Sánchez, considerou as eleições gerais de hoje “uma jornada histórica” na qual “já cheira a mudança” quanto ao “rumo que Espanha precisa”.

“Estamos numa jornada histórica, cheira a mudança e, honestamente, creio que precisamos de governos que pensem na maioria dos espanhóis. Por isso, que ninguém fique em casa”, disse o líder socialista, num apelo ao voto.

Sánchez falava em Pozuelo de Alarcón (município de Madrid), após ter votado.

Questionado sobre se não ganhar as eleições será uma derrota para o PSOE, Sánchez evitou a pergunta, afirmando que os espanhóis decidem hoje, com o seu voto, “o futuro, não apenas dos próximos anos, mas sim das próximas gerações”.

Ainda assim, mostrou-se esperançado que “ocorra essa mudança de rumo que Espanha precisa e que tanto pede a maioria dos espanhóis”.

“Camaradas, vamos lá ganhar”, disse Pedro Sánchez aos representantes do seu partido na Assembleia de Voto do Centro Cultural Volturno, em Pozuelo de Alarcón.

Mais de 36,5 milhões de eleitores vão hoje às urnas para escolher um novo governo em Espanha, umas eleições das quais sairá a necessidade de acordos pós-eleitorais para formação do Executivo, ou seja, o fim do bipartidismo entre o PP e o PSOE.