PS, PCP e BE acordaram em conjunto uma comissão de inquérito ao caso Banif. Os partidos uniram-se para avançarem com esta comissão de inquérito e investigar não só a atuação do Banco de Portugal como também a gestão do anterior Governo, liderado por passos Coelho, confirmou o Observador junto de fontes parlamentares de dois partidos. Um vice-presidente da bancada do PSD disse já à TSF apoiar esta CPI. “Estamos perfeitamente disponíveis”, disse Leitão Amaro.

Na comunicação ao país esta noite, o primeiro-ministro considerou que este processo suscita a necessidade de refletir com o Banco de Portugal e demais reguladores sobre o quadro de supervisão necessária para garantir a estabilidade do sistema financeiro. E frisou que foi confrontado com situação de urgência, mas que era conhecida há mais de um ano pelas autoridades portuguesas.

O anúncio da venda do Banif feito esta noite por António Costa, em direto nas televisões, foi também concertado. O primeiro-ministro avisou BE e PCP da decisão.

Ao início da madrugada, o líder parlamentar do PS, Carlos César, defendeu um inquérito parlamentar, num texto publicado no Facebook, em que acusa o Governo PSD/PP “(e o Banco de Portugal não está inocente)” de ter adiado “com toda a irresponsabilidade e negligência a solução do problema do BANIF, como já havia feito com outros problemas que se foram acumulando”.

“Sabe-se que a Ministra das Finanças foi repetidamente prevenida, desde há mais de um ano, inclusive pelas autoridades europeias, para a degradação da situação e para a urgência de uma intervenção. Empurrou sempre o assunto para a frente para evitar enfrentá-lo antes de eleições”, acrescenta.

Ao mesmo tempo, o líder parlamentar do BE, Pedro Filipe Soares, reagiu no Twitter, considerando que o caso Banif “foi o buraco versão PSD/CDS. Não foi uma injeção de capital, nem sequer uma nacionalização, foi a expropriação do dinheiro dos contribuintes” e que se deve avançar para uma comissão de inquérito porque o que se passou foi “vergonhoso”.