O papa Francisco garantiu hoje que a reforma da Cúria “vai avançar com determinação, lucidez e resolução”, durante a cerimónia de transmissão dos votos anuais aos cardeais e bispos que trabalham no Vaticano.

Estes votos surgem um ano depois de um discurso muito severo, proferido em dezembro do ano passado, no qual o papa denunciou as 15 “doenças” da Cúria, entre as quais o “Alzheimer espiritual, a mundanidade e a corrupção”.

No discurso de hoje, o papa propôs “antibióticos” para estas doenças.