O advogado chinês Pu Zhiqiang foi esta terça-feira condenado a três anos de prisão, com pena suspensa, por “incitação ao ódio étnico” e “provocação de distúrbios” por comentários que publicou numa rede social, segundo a estação de televisão estatal CCTV.

O ativista e defensor dos direitos humanos disse que não iria recorrer da sentença, informou a imprensa oficial.

Pu Zhiqiang, de 50 anos, foi advogado de vítimas de condenação a trabalhos forçados e do artista e dissidente chinês Ai Weiwei, e foi detido há um ano e meio, a meio de uma campanha repressiva sobre os dissidentes em todo o país.