O Presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, disse esta sexta-feira que “dezenas de pessoas” foram mortas na sequência de uma forte explosão registada na quinta-feira, véspera de Natal, num complexo de gás em Nnewi, sudeste do país.

Em comunicado, o Presidente Buhari referiu estar “profundamente abalado e chocado por estas perdas em vidas humanas num acidente industrial único”.

A explosão ocorreu na quinta-feira, cerca do meio-dia, em Nnewi, no local de produção de gás líquido da InterCorp Oil Limited, filial do conglomerado nigeriano Chicason Group.

Após a explosão, um incêndio propagou-se aos edifícios contíguos, e com a cidade coberta por uma espessa nuvem de fumo negro.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Este balanço oficial contradiz os oito mortos antes anunciados pela polícia, que tinha desmentido informações dos media locais que elevavam a mais de 100 o número de mortos no sinistro. O porta-voz da polícia, Ali Okechukwu, tinha considerado “alarmante e falso” o balanço das vítimas e insistiu nos números fornecidos pela polícia.

No entanto, o balanço oficial fornecido pela presidência coincide com o divulgado inicialmente pela imprensa local e diversas testemunhas.

Além de provocar a morte de várias pessoas, a explosão destruiu numerosos edifícios e calcinou cerca de 50 veículos que se encontravam nas proximidades do local da explosão, com o incêndio a ser extinto “após grandes esforços”, segundo um responsável dos bombeiros.

O sinistro, que ocorreu enquanto os clientes abasteciam os veículos para as festas de Natal, atingiu clientes e trabalhadores do complexo, para além de condutores que circulavam na zona e os habitantes dos edifícios destruídos.

A agência Reuters relata citou ainda o jornalista David Onwuchekwa que relatou que “vi cerca de 100 corpos carbonizados”.