Tecnologia

Eis o carro voador. Estados Unidos dá primeira autorização

1.725

Será desta? Depois de um carro eslovaco não ter voado muito alto, é a vez de um modelo norte-americano se fazer à estrada (e ao céu).

Retirado do site da Terrafugia

O futuro pode estar já ao virar da esquina, aparentemente. Muito em breve, os carros voadores prometem saltar do ecrã dos cinemas (Relatório Minoritário é um exemplo, mas há mais) para as estradas e os céus de uma qualquer cidade mundial. Para já, nos Estados Unidos, a autoridade que rege a aviação daquele país aprovou o início dos testes de voo de um exemplar de carro voador, conhecido como TF-X.

A empresa que produz este automóvel, a Terrafugia, já está a desenvolver este projeto há vários anos. Inicialmente pensou que poderia já estar a comercializá-lo em 2012, mas só agora vão começar os testes. Segundo a revista Slate, a empresa pode agora testar um protótipo deste veículo com cerca de um décimo do tamanho que o automóvel virá a ter quando chegar ao mercado.

Para voar, o TF-X não precisa de uma pista de descolagem nem de aterragem. No momento em que o condutor quiser levantar voo, abrem-se duas asas laterais, cada uma com uma hélice que fazem o carro voar como um helicóptero.

Esta empresa não é a única no mundo a trabalhar num projeto de carro voador. A Aeromobil, companhia eslovaca, lançou um modelo próprio que os responsáveis queriam em comercialização até 2017. Os testes que se fizeram já este ano não correram bem: o carro caiu poucos segundos depois de iniciado o primeiro voo.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Winston Churchill

A arrogância da ignorância /premium

João Carlos Espada

Como devemos interpretar que um dirigente do segundo maior partido britânico venha dizer em público que o líder do mundo livre durante a II Guerra, Winston Churchill, foi um “vilão”?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)