Uma análise ao sistema operativo informático interno da Coreia do Norte revelou a existência de alguns mecanismos de espionagem que permitem identificar documentos offline.

Este sistema operativo, chamado Red Star OS, foi concebido para imitar superficialmente o OS X da Apple, mas este, como conta a BBC, poderá possuir recursos obscuros capazes de marcar ficheiros e ligá-los a um indivíduo.

Pelo menos é isto que dois investigadores alemães, que conduziram a análise ao longo do último mês, alegam ter descoberto no Congresso de Comunicação da associação alemã de hackers, ‘Chaos Computer Club’.

Ou seja, e na prática, Florian Grunow e Niklaus Schiess concentraram-se no código do Red Star OS versão 3.0 que foi disponibilizado online há cerca de um ano. Ora, segundo conta Grunow à BBC, os criadores deste código “fizeram um belo trabalho”, e com uma particularidade. Todos os ficheiros carregados no sistema através de USB ou de outro dispositivo de armazenamento podem ser marcados, permitindo ao Governo norte-coreano seguir o caminho que o ficheiro percorrer a partir desse momento. Para além disso, a Red Star pode identificar ficheiros indesejáveis e eliminá-los sem necessitar de autorização.

Este sistema de “marca de água”, como apelida a BBC, é mais um mecanismo utilizado pela Coreia do Norte para evitar a partilha de filmes, música e ficheiros estrangeiros no país mesmo que seja offline.