Dois homens foram detidos esta terça-feira na Bélgica, por serem suspeitos de planearem atentados terroristas em Bruxelas para as celebrações de ano novo. Os dois suspeitos pretendiam atacar “edifícios emblemáticos” da capital belga, segundo afirmou o gabinete do Ministério Público belga, citado pela CNN.

Entre os edifícios que os dois suspeitos planeavam atacar encontravam-se a Grand Palace, uma praça central de Bruxelas, assim como complexos militares e da polícia belga e ainda zonas onde habitualmente se reunem muitas pessoas, para as festas de final do ano.

Os dois homens eram muçulmanos e membros de um gang de motociclistas local, segundo afirma um responsável do departamento antiterrorismo da polícia belga. A mesma fonte, citada pela CNN, acrescenta ainda que os suspeitos se terão inspirado no grupo terrorista Estado Islâmico, embora não tivessem sob seu controlo.

A intervenção policial começou no domingo, altura em que se iniciaram as buscas policiais, que se prolongaram esta segunda-feira, na região de Liège e numa província da Flandres. Foram interrogadas seis pessoas, e a polícia belga encontrou uniformes de treino de estilo militar, material de propaganda do Estado Islâmico e registos de computador, que foram confiscados para posterior análise. Destas seis pessoas, quatro foram libertadas, e duas ficaram sob detenção.

Apesar de tudo, o gabinete do procurador belga esclareceu que as detenções não estão ligadas aos atentados do passado dia 13 de novembro que vitimaram 130 pessoas em Paris.