“No processo de desenvolvimento de uma sociedade é natural surgirem dificuldades e desafios. Devemos, por isso, (…) promover os valores tradicionais do patriotismo, do amor por Macau e da solidariedade, reunindo sabedoria e forças, para em conjunto ultrapassarmos as dificuldades e abrirmos um melhor e mais vasto futuro”, disse Chui Sai On, numa referência à queda das receitas dos casinos, desde junho de 2014, que provocou uma descida de 25% do PIB nos primeiros nove meses deste ano.

Apesar de no ano que agora finda a economia de Macau ter “entrado em fase de ajustamento profundo”, 2015 foi “mais um ano marcante e de grande significado histórico”, principalmente devido à definição de 85 quilómetros quadrados de áreas marítimas, que estão, desde dia 20 deste mês, sob jurisdição de Macau, frisa o chefe do Executivo.

Para enfrentar os desafios, Chui Sai On afirma ser necessário “elevar constantemente a competitividade geral de Macau e a sua capacidade para enfrentar pressões”.

“Precisamos, ainda, de melhorar o nosso desempenho enquanto plataforma de serviços para a cooperação económica e comercial entre a China e os países de língua portuguesa”, indicou.

O líder do Governo de Macau termina a sua mensagem de Ano Novo com um agradecimento aos trabalhadores da Administração Pública que “asseguram o cumprimento das suas funções, em prol da população de Macau (…) nesta época de feriados”.