A manhã começou com a detenção de um homem de 22 anos de nacionalidade belga por suspeitas de “assassinatos terroristas e participação em atividade de um grupo terrorista”, segundo comunicaram as autoridades. Segundo o Le Soir trata-se de Ayoub Bazarouj — as autoridades divulgaram o nome do detido como apenas Ayoub B. –, que estava na casa da sua família quando foi detido. A imprensa belga está a avançar que vários membros da família do detido estavam radicalizados e que alguns estarão na Síria. Além disso, serão próximos de Salah Abdeslam, um dos homens mais procurados na Europa na sequência dos atentados de 13 de novembro em Paris.

Não é a primeira vez que o apelido Bazarouj surge com associações a terrorismo ou ao auto-proclamado Estado Islâmico. As autoridades belgas sabiam que um dos irmãos da família Bazarouj estava no Iraque a combater pelo Daech. E em maio, surgiram na imprensa belga fotografias de Fatima Bazarouj, irmã de Ayoub, na Síria juntamente com os dois filhos. As autoridades já sabiam, nessa altura, que Fatima tinha levado consigo os dois filhos (de 3 e 5 anos) e duas irmãs, com 15 e 23. Fatima terá partido com auxílio de pessoas ligadas ao Estado Islâmico e contra a vontade do seu marido. Em agosto, colocou uma fotografia nas redes sociais em que um dos seus filhos segura uma AK-47, uma arma automática.

Ayoub Bazarouj é o décimo detido na Bélgica no âmbito da investigação que se seguiu aos atentados de Paris de 13 de novembro. O homem de 22 anos e de nacionalidade belga, foi detido por suspeitas de “assassinatos terroristas e participação em atividades de um grupo terrorista”, segundo comunicaram as autoridades.

O local não tinha armas nem explosivos, mas foram apreendidos dez telemóveis que agora serão investigados.

O suspeito, que vive no bairro de Molenbeek-Saint-Jean, o mesmo do terrorista em fuga Salah Abdeslam, foi interpelado pelas autoridades na quarta-feira. Pouco tempo depois, já na quinta-feira de manhã, foi emitido um mandado de captura, conforme escreve o diário belga Le Soir. A casa onde Ayoub Bazarouj foi detido já tinha sido alvo de buscas por parte das autoridades belgas três dias depois dos atentados de 13 de novembro. Nessa altura, segundo a televisão pública belga, RTBF, foram encontrados “vestígios” da passagem de Salah Abdeslam por aquela casa, de onde terá fugido “pouco antes” da intervenção policial naquele bairro da capital belga.

Ayoub Bazarouj deverá ficar detido até que, dentro dos próximos cinco dias, seja decidido em tribunal se ele deve ou não ser mantido em detenção preventiva.

Outras seis pessoas detidas para interrogação

Também na manhã de quinta-feira, mais seis pessoas foram abordadas pelas autoridades, em dois municípios limítrofes de Bruxelas, Anderlecht e Leeuw- Saint-Pierre. Segundo o Le Soir, foram convocadas para uma audição em tribunal, mas não foram detidas.

As intervenções das autoridades são feitas no contexto de ameaças de atentados a locais emblemáticos da capital belga durante a noite de 31 de dezembro. As suspeitas levaram a que a comuna de Bruxelas cancelasse todos os festejos públicos planeados para a noite de quinta-feira, incluindo o habitual fogo de artifício.