Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A suspeita de presença de um rato a bordo de um avião da Air India que seguia de Bombaim para Londres obrigou a aeronave a voltar para trás, após três horas de voo. O episódio, que ocorreu na quarta-feira, pode parecer caricato, mas a verdade é que os ratos representam uma verdadeira ameaça à segurança dos voos, uma vez que podem morder cabos e causar danos nos controlos internos. O roedor não foi, porém, encontrado.

Em comunicado, a transportadora aérea já disse que a “Air India dá extrema importância à segurança” e que “a equipa de engenheiros está a investigar o incidente”. A aeronave foi fumigada e os técnicos terão ainda de se assegurar que não existem cablagens e outros equipamentos danificados. Entretanto os passageiros que seguiam a bordo apanharam outro avião para Londres.

Esta não foi a primeira vez que um avião da Air India teve de regressar à base por causa de ratos. Já em julho, um avião desta companhia aérea com destino a Milão foi obrigado a voltar a Nova Deli também devido ao suposto avistamento de um roedor.

Também nesta quarta-feira outro avião da mesma companhia, com 171 passageiros a bordo, teve de abortar a descolagem por causa de um cão que invadiu a pista e que correu para as rodas dianteiras do equipamento. E nos Estados Unidos, uma carrinha de “catering” do aeroporto de Newark colidiu com um avião da companhia aérea indiana.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR