O Tribunal de Santarém absolveu de todos os crimes os seis arguidos do caso de sequestro, extorsão e violência doméstica sobre uma idosa e o seu filho deficiente, na localidade da Fajarda, concelho de Coruche.

Na leitura do acórdão, o coletivo de juízes afirmou estar a decidir em função da prova produzida.

O Ministério Público (MP) acusou, em janeiro de 2014, um casal do sequestro, extorsão e violência doméstica por ter mantido a mãe e o irmão do arguido, deficiente profundo, em cativeiro mais de um ano.

Segundo o despacho de acusação, a que a agência Lusa teve acesso, o filho (52 anos) e a nora (49 anos) de Jacinta Formigo, mãe do ofendido Carlos Bento, mantiveram, entre julho de 2008 e agosto de 2009, as duas vítimas – atualmente com 72 e 45 anos, respetivamente – “presas em casa a cadeado, isoladas e sem contacto com o exterior”, tendo ambos “passado fome e sede, sofrido maus-tratos, além de terem sido privados de cuidados de higiene e médicos”.

Mais de quatro anos após os alegados factos, o MP sustenta que o casal, com a “cumplicidade e o auxílio” de duas filhas (netas da ofendida), de 21 e 26 anos, e de uma nora, de 33 anos – também arguidas no processo – “delineou um plano e obrigou” Jacinta Formigo a abrir uma conta bancária em nome do filho, passando os cinco arguidos a usufruir de “todas as quantias depositadas”, nomeadamente a reforma da idosa e duas pensões.