O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, insistiu no desejo de um acordo de governo com o PSOE e o Ciudadanos para formar uma coligação estável que permita transmitir uma mensagem de estabilidade dentro e fora de Espanha e diz que não tem “linhas vermelhas” para negociar com os dois partidos.

Numa entrevista à rádio Cope, Mariano Rajoy defende o seu desejo dizendo que um governo com mais de 200 deputados – PP, PSOE e Ciudadanos – transmitira uma mensagem de credibilidade e tranquilidade aos mercados e permitiria avançar com “grandes reformas que se considerem necessárias” e “para muitos anos”, incluindo uma revisão constitucional.

Mariano Rajoy diz ainda que só com o PSOE e com o Ciudadanos pode acordar uma reforma constitucional, porque com os restantes partidos seria com certeza uma proposta “muito diferente, que muitos não poderíamos apoiar”.

Apesar da abertura para se coligar com o PSOE, o líder do PP garantiu que não vai apoiar de maneira nenhuma a pretensão do socialista Patxi López de ser o presidente do Parlamento espanhol e que o seu partido vai apresentar o seu próprio candidato. Desde 1977, o vencedor das eleições não só preside ao Governo como também às cortes.