Os diplomatas iranianos deixaram hoje a Arábia Saudita, após a rutura de todas as relações anunciada por Riade na sequência dos ataques às suas missões na república islâmica, anunciaram hoje os media oficiais sauditas.

O pessoal da embaixada iraniana em Riade, e ainda os funcionários do consulado na cidade de Jeddah, abandonaram o país “a bordo de um avião privado iraniano”, referiu a agência oficial SPA.

A televisão oficial iraniana IRBI confirmou a chegada do pessoal diplomático a Teerão, ao emitir imagens do seu avião após a aterragem no aeroporto Mehrabad de Teerão.

A estação adiantou que o avião transportou 54 diplomatas iranianos e as suas famílias, que foram recebidos pelo ministro-adjunto os Negócios Estrangeiros.

Os media de Riade referiram por sua vez que os diplomatas sauditas regressaram ao seu país na terça-feira.

As autoridades da Arábia Saudita cortaram as relações diplomáticas e as ligações aéreas com Teerão após uma multidão em fúria ter incendiado parte do edifício da sua embaixada na capital iraniana e o seu consulado em Mashhad.

Os protestos do fim de semana foram uma resposta à execução por Riade do chefe religioso xiita Nimr al-Nimr, e na sequência dos protestos xiitas em 2011.

Em declarações à televisão oficial, o embaixador iraniano na Arábia Saudita, Hossein Sadeghi, considerou natural o repúdio pela execução de Nimr, mas criticou a resposta, numa referência aos ataques às representações diplomáticas sauditas.

“Apesar de os protestos serem um direito da sociedade civil, um assalto a uma embaixada e o desrespeito pelos compromissos pode prejudicar a imagem da República Islâmica”, disse.