Ciência

Calypso, o navio do comandante Cousteau vai voltar ao mar

Naufragou em Singapura, em 1996, e está num porto francês desde 2007. Agora, Calypso vai ser resgatado, arranjado e voltará ao mar, segundo a vontade da Equipa Cousteau.

Jacques-Yves Cousteau percorreu os oceanos para realizar filmes sobre os fundos marinhos

Autor
  • Agência Lusa

A associação proprietária do Calypso, o célebre navio de exploração oceanográfica do comandante Jacques-Yves Cousteau, ao abandono desde 2007 num porto francês, anunciou esta quinta-feira que a embarcação vai regressar ao mar.

“Estamos a trabalhar para tirar o navio de Concarneau (Bretanha, oeste de França) no prazo de três meses. O nosso objetivo é reparar completamente o navio e que volte a navegar para ser o embaixador dos oceanos, como queria o comandante”, disse a associação Equipa Cousteau.

“Consideramos serem necessários entre 12 e 18 meses para pôr o Calypso a navegar. Já contactámos empresas para esta empreitada”, acrescentou.

A bordo do Calypso, o explorador Jacques-Yves Cousteau percorreu, a partir de 1950 e durante mais de 40 anos, os oceanos para realizar filmes sobre os fundos marinhos, vistos em todo o mundo.

Com o seu barrete vermelho de escafandrista, Cousteau realizou vários documentários, sendo provavelmente o mais famoso “Le Monde Du Silence”, que ganhou a Palma de ouro no festival de cinema de Cannes, em 1956.

Em janeiro de 1996, o Calypso naufragou em Singapura. Posto a flutuar, foi colocado em Concarneau em 2007, onde devia ter sido restaurado.

Divergências entre o estaleiro naval Piriou, encarregado dos trabalhos, e a Equipa Cousteau interromperam a recuperação do navio.

Em dezembro de 2014, a justiça francesa determinou que a associação devia retirar o Calypso do estaleiro antes de 12 de março deste ano e pagar à Piriou os trabalhos já efetuados, no valor de cerca de 300 mil euros.

A Equipa Cousteau indicou que o navio podia ser exposto no Mónaco, na água ou em doca seca, enquanto a empresa ameaçava leiloar o Calypso.

“A Equipa Cousteau conseguiu sentar, à mesma mesa, vários mecenas internacionais generosos e muito motivados”, disse a associação na sua página digital.

“Quando o Calypso regressar ao Mediterrâneo, estará a navegar com os seus próprios motores, como queria o comandante Cousteau”, acrescentou Francine Cousteau, segunda mulher do explorador e presidente da Equipa Cousteau.

Em comunicado, o estaleiro Piriou garantiu que fará “tudo ao seu alcance para permitir a saída do Calypso da doca nas melhores condições”, apesar de afirmar desconhecer o projeto de retirar o navio durante o primeiro trimestre. O estaleiro confirmou ter recebido, em dezembro, a soma devida pela associação.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)