A detonação da primeira bomba de hidrogénio que o governo norte-coreano diz ter levado a cabo suscitou várias críticas por todo o mundo. Os vizinhos da Coreia do Sul, em particular, cujas relações com a Coreia do Norte são especialmente tensas, têm vindo a fazer vários ataques diplomáticos ao regime de Kim Jong-un. Para além das críticas ao programa nuclear, aos abusos de direitos humanos e à economia do país vizinho, os sul-coreanos têm uma nova arma de arremesso: a música pop.

A escolha não é incompreensível: afinal, os norte-coreanos estão proibidos de ouvir a música pop dos vizinhos. Mais do que isso: podem apenas ouvir as estações de rádio e os canais televisivos controlados pelo regime de Pyongyang. Contudo, há norte-coreanos que afirmam que os temas sul-coreanos são populares no país: e que os seus habitantes os ouvem de forma ilegal, através de pens e DVDs contrabandeados. A ideia do regime sul-coreano é, portanto, promover a sua cultura junto dos norte-coreanos e criar tensão.

“Escolhemos uma vasta gama dos hits [pop] mais recentes e mais populares” da Coreia do Sul, afirmou um responsável do ministério da Defesa num encontro com jornalistas locais, em declarações citadas pelo The Guardian. O jornal britânico revelou ainda a playlist com que os sul-coreanos pretendem irritar o regime de Kim Jong-un:

Lee Ae-rain – “100 Years of Life”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Porquê este tema? Pela popularidade. A canção de Lee Ae-rain é tão popular na Coreia do Sul que a principal aplicação de mensagens instantâneas do país, chamada Kakao Talk, chegou mesmo a criar emojis baseados no videoclipe do tema. O refrão, que se inspira na música popular e tradicional da Coreia, é construído a partir daquela que e é, diz o The Guardian, a canção folk mais popular da Coreia, “Arirang”. E esta é, acrescenta o jornal, popular nos dois lados da fronteira: daí a escolha.

GFriend – “Me Gustas Tu”

A girls band sul-coreana GFriend estreou-se na música apenas em 2015, com o EP Season of Glass, lançado em janeiro do ano transato. Mas o sucesso foi imediato: e agora o governo sul-coreano quer aproveitar a popularidade para tentar invadir os vizinhos com a canção. À falta de solução mais eficaz, criativa não deixa de ser.

Apink – “Let Us Just Love”

As APink são outra girls band sul-coreana, formada por várias jovens que o governo do país quer levar aos olhos e ouvidos dos norte-coreanos. Levam já mais experiência na música, tendo sido formadas em 2011. O grupo, atualmente constituído por seis elementos, está em plena forma: em 2015 foi nomeado para os MTV Awards, na categoria “Melhor ato musical coreano”. A canção, lembra o The Guardian, que cita a Wikipedia, aborda a vida de um “jovem incrivelmente imaturo que é um inútil [ou incompetente] no seu trabalho”. “Olá olá, Kim King-un”, atira a publicação britânica.

Big Bang – “Bang Bang Bang”

Se nós gostamos, porque não gostarão eles, ter-se-ão perguntado os responsáveis sul-coreanos. Afinal, o videoclipe de “Bang Bang Bang” é um dos mais vistos na Coreia do Sul em 2015. A boys band, de cinco elementos, é cada vez mais popular: e os seus hits dançáveis, como este, são celebrados pelos sul-coreanos. “Como se tivesses sido baleado / bang bang”, cantam os Big Bang no tema, segundo o The Guardian: ameaça velada ao regime de Kim Jong-un?