830kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Infografia: vai beber este fim de semana? O que precisa de saber sobre o consumo de álcool

Este artigo tem mais de 5 anos

O Reino Unido tem conselhos mais apertados após um novo relatório sobre consumo de álcool: não se deve beber mais de 14 copos por semana. Conheça os hábitos em Portugal e no mundo.

A bebida favorita dos portugueses é o vinho, dizem os estudos
i

A bebida favorita dos portugueses é o vinho, dizem os estudos

Jeff J Mitchell

A bebida favorita dos portugueses é o vinho, dizem os estudos

Jeff J Mitchell

O Chief Medical Officer, principal conselheiro do governo britânico em questões de saúde, informou que os estudos mais recentes indicam que qualquer quantidade de álcool ingerida pode contribuir para aumentar o risco de desenvolver cancro. Por isso criou uma série de novas recomendações. Nenhum homem ou mulher devia beber mais do que 14 unidades de álcool por semana e as grávidas deviam abster-se por completo de consumir bebidas alcoólicas. Além disso, é importante que não se beba todos os dias: deve haver dias em que as pessoas não ingerem qualquer quantidade de álcool.

Este é o primeiro relatório escrito depois de um grande estudo estatístico produzido no Reino Unido com entrevistas desde 1995. Entre as diferenças dos conselhos dados pelo Chief Medical Officer há vinte anos e os que agora propõe está uma diminuição de sete unidades de álcool (qualquer bebida com 10 ml de álcool puro) na quantidade semanal que homens e mulheres devem ingerir. Mas há uma diferença entre géneros: os homens podem beber 3 a 4 copos por dia, enquanto as mulheres não devem passar dos 2 ou 3, indica a BBC.

Na infografia abaixo vai poder conhecer os hábitos de consumo de álcool no mundo e em Portugal. E também pode explorar a quantidade de álcool presente nas bebidas alcoólicas preferidas dos portugueses.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

 
Assine o Observador a partir de 0,18€/ dia

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Já é assinante?
Apoio a cliente

Para continuar a ler assine o Observador
Apoie o jornalismo independente desde 0,18€/ dia
Ver planos
Já é assinante?
Apoio a cliente

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Apoie o jornalismo. Leia sem limites. Apoie o jornalismo. Leia sem limites.
Desde 0,18€/dia
Apoie o jornalismo. Leia sem limites.
Apoie o jornalismo. Leia sem limites. Desde 0,18€/dia
Em tempos de incerteza e mudanças rápidas, é essencial estar bem informado. Não deixe que as notícias passem ao seu lado – assine agora e tenha acesso ilimitado às histórias que moldam o nosso País.
Ver ofertas