Morreram pelo menos quatro pessoas no bombardeamento a um hospital apoiado pelos Médicos Sem Fronteiras (MSF) no norte do Iémen, segundo um comunicado da organização. Do bombardeamento resultaram também 10 feridos, três deles MSF, estando dois em estado grave. Este é o terceiro ataque a instalações hospitalares apoiadas pelos MSF no Iémen nos últimos três meses.

O anúncio do bombardeamento ao Hospital Shiara, que aconteceu às 9h20 (hora local), foi comunicado pelos médicos no local à sede da organização. Sem conseguir confirmar qual a origem do ataque que destruiu vários edifícios, os MSF afirmam que alguns aviões sobrevoaram a área antes da queda dos projeteis sobre o hospital e nas imediações.

Apesar de o distrito Razeh, onde se localiza o hospital, ser um dos locais onde os conflitos são maiores, os MSF lembram que “bombardear hospitais é uma violação das leis humanitárias internacionais”. Raquel Ayora, diretora de Operações, assegura que todas as partes envolvidas nos conflitos têm conhecimento de que hospitais estão a ser apoiados pelos MSF. E acrescenta que é impossível que quem tenha condições para lançar um ataque aéreo deste tipo, não tivesse conhecimento que os MSF estavam presentes neste hospital.