O PDR de Castelo Branco reafirmou a necessidade da abolição de portagens na autoestrada da Beira Interior (A23) depois do anúncio do aumento de preços em seis troços e que atingem sobretudo as empresas.

“Assiste-se agora ao aumento das portagens em seis dos troços da A23 que ficam cinco cêntimos mais caros para veículos das classes dois, três e quatro, aquelas que atingem sobretudo as empresas”, lê-se no comunicado enviado à agência Lusa.

A autoestrada A23 atravessa os distritos da Guarda, Castelo Branco, Santarém e Portalegre, e permite a ligação entre Torres Novas e a Guarda.

“O PDR reafirma a necessidade da abolição de portagens, mormente na A23. Continuará a pugnar por ela. Não calará a sua voz”, lê-se no documento.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A nota recorda que o primeiro-ministro, António Costa, disse no decorrer da campanha eleitoral “que via com bons olhos a possível mexida das portagens”, nomeadamente no interior.

“Esqueceu-se de dizer que essas mexidas seriam, no entanto, para aumentar a carga sobre as empresas e o tecido económico”, acusam.

O PDR reitera o desafio lançado recentemente aos quatro deputados, eleitos pelo círculo de Castelo Branco (dois do PS e dois do PSD), para “assumirem a sua condição de eleitos em representação da região e a tomarem iniciativas nesta matéria”.

Apelam ainda aos quatro deputados eleitos que, em alternativa, viabilizem o projeto de resolução do PCP, “em nome dos interesses e da vontade da região, em prol de uma economia regional sustentável e em nome da coerência com as políticas defendidas nas campanhas eleitorais de defesa do distrito de Castelo Branco”.