A dependência dos bancos portugueses do financiamento do Banco Central Europeu (BCE) diminuiu em mais de 5.000 milhões de euros em 2015, caindo 16% face ao ano anterior, segundo dados do Banco de Portugal (BdP).

De acordo com as estatísticas hoje divulgadas pelo Banco de Portugal, em dezembro de 2015, os bancos portugueses tinham uma exposição de 26.160,88 milhões de euros junto do BCE, cerca de 5.000 milhões abaixo dos 31.190,84 milhões registados no último mês de 2014.

Em dezembro, os bancos portugueses aumentarem em 2,9 mil milhões de euros a sua exposição ao BCE face a novembro, mas a exposição de 26.160,88 milhões de euros registada no último mês do ano passado está ainda abaixo do montante verificado em agosto (de 26.490,88 milhões de euros) e está também abaixo do valor mais elevado de 2015, que ocorreu em abril (29.298,58 milhões de euros).

Em abril de 2010, a banca portuguesa tinha uma exposição à cedência de liquidez do BCE de cerca de 17.700 milhões de euros, um valor que disparou no mês seguinte para cerca de 35.800 milhões de euros, altura em que Atenas assinou com os credores internacionais o primeiro acordo para o resgate internacional à Grécia.

Desde essa altura, o valor máximo foi atingido junho de 2012, quando os empréstimos chegaram a um valor recorde de cerca de 60.500 milhões de euros.