Pablo Iglesias e o partido Podemos estão a ser investigados por alegado financiamento ilegal proveniente do regime iraniano, informa o El Confidencial. A Unidad de Delincuencia Económica y Fiscal (UDEF) da polícia nacional espanhola terá em sua posse documentos que demonstram que o líder do partido de esquerda e uma das grandes revelações das últimas eleições, recebeu dinheiro através de uma produtora iraniana sediada em Espanha, que serviria de veículo para o dinheiro viajar de Teerão para contas associadas ao Podemos.

Segundo fontes do diário espanhol, a UDEF admite que Iglesias e outros líderes do Podemos poderão ter recebido até cinco milhões de euros do regime iraniano para colocar em marcha a criação do partido, em 2014, e financiar ações posteriores.

Há três produtoras no centro da investigação que são controladas pelo iraniano Mahmoud Alizadeh Azimi: 360 Global Media, Producciones Audiovisuales Press TV e Producciones Audiovisual Hispan TV. Pablo Iglesias terá sido o destinatário de várias transferências de dois mil e três mil euros, a que se somaram outras quantias por apresentar o “Fort Apache”, um programa transmitido pela Hispan TV.

A 360 Global Media, diz o El Confidencial, poderá ter sido financiada com 7,2 milhões de euros entre 2012 e 2014 para desenvolver, emitir e produzir o Hispan TV, o canal criado em Espanha pelo anterior governo iraniano, liderado por Mahmud Ahmadineyad. A ideia seria “defender” e “difundir a cultura persa na comunidade espanhola”, escreve o diário espanhol.

A UDEF terá em sua posse informações que indicam que as três produtoras de Azimi terão ter desviado dinheiro de Teerão para o Podemos. Como? Inflacionando as faturas, recibos e remunerações dos dirigentes do partido pela participação nos espaços da Hispan TV. Na essência, o objetivo passaria por dotar o Podemos de condições para ganhar peso e influência, algo que acabaria por acontecer.

Em abril de 2012, informa o El Confidencial, Iglesias fundou a Con Mano Izquierda, associação cultural pela qual o político recebia as suas remunerações por realização dos programas. Segundo dados fornecidos pelo Podemos, essa associação cobrava 15 mil euros à 360 Global Media por cada um dos seus programas (“Forte Apache”) na Hispan TV.

Resta recordar que o Podemos contribuiu para a queda do bipartidismo em Espanha, nas eleições de 20 de dezembro, terminando em terceiro lugar, com 69 deputados eleitos (20.6%).