Olá

833kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Vacinar ou não vacinar? O polémico post de Mark Zuckerberg

Este artigo tem mais de 5 anos

O fundador do Facebook publicou uma imagem da sua filha Max prestes a ser vacinada. O post foi entendido como um incentivo à vacinação e lançou a fúria entre muitos dos seus milhões de seguidores.

i

Getty Images

Getty Images

A fotografia pode ser da última sexta-feira, dia 8 de janeiro, mas só agora dá que falar por ter todos os ingredientes certos: um protagonista de relevo e um tema polémico aí retratado. Mark Zuckerberg, o fundador do Facebook, publicou uma fotografia sua na companhia da filha recém-nascida. Na imagem é possível ver a pequena Max ao colo do pai, sendo que na legenda lê-se: “Visita ao médico — tempo de tomar as vacinas!”.

Doctor's visit -- time for vaccines!

Publicado por Mark Zuckerberg em Sexta-feira, 8 de Janeiro de 2016

Pode parecer estranho que uma coisa tão simples como vacinar os filhos gere tanta discórdia, mas acontece que este tem sido, nos últimos anos, um aceso debate em solo norte-americano (em Portugal o tema também não tem passado despercebido, com a questão da vacinação a ocupar inclusivamente o horário nobre na novela da SIC, Coração d’Ouro). Isto porque quem se opõe à vacinação das crianças defende que as vacinas são responsáveis por doenças ou distúrbios associados ao desenvolvimento dos mais novos, do qual o autismo serve de exemplo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A ligação entre o autismo e as vacinas estará associada a um estudo de 1998 da autoria de Andrew Wakefiel, publicado na conceituada revista médica Lancet. Mais tarde descobriu-se que os dados aí apresentados tinham sido manipulados e que o autor tinha recebido dinheiro de partes interessadas para publicar esta informação corrompida. O tema não deixa de ser, no entanto, atual, com o Observador a cobrir o assunto num especial publicado em março de 2015. Exemplo disso é o vídeo que agora circula na imprensa internacional e que mostra os últimos dias de um bebé, vítima de tosse convulsa — os pais da criança decidiram torná-lo público na esperança de incentivar futuras mães a vacinar os seus filhos.

I hope your 2016 is happy, healthy and productive.As the world faces new challenges and opportunities, may we all find the courage to keep making progress and making all our days count.

Publicado por Mark Zuckerberg em Sexta-feira, 1 de Janeiro de 2016

Muitos dos cerca de 47 milhões de seguidores de Zuckerberg viram o post em questão como uma manifestação pouco subtil de apoio à vacinação. Daí que não seja necessariamente surpreendente os 3,2 milhões de “gostos” feitos à publicação, seguidos dos mais de 70 mil comentários. E é entre as milhares de mensagens que se encontram reações a favor e contra, respetivamente:

  • “Enquanto alguém autista, com um filho autista, e alguém que constantemente vê boas pessoas a pôr as suas crianças em risco por causa de receios velhos e fraudulentos que relacionam vacinas com o autismo… Obrigada por ser sensível. Obrigada por fazer o que está certo e também por mostrar a todos que isto é a coisa certa a fazer”;
  • “As empresas farmacêuticas fazem lucros enormes de uma sociedade doente. Usem a cabeça”.

Esta não é a primeira vez que Zuckerberg fala em prol da vacinação. Em fevereiro do ano passado, o fundador da rede social fez a seguinte declaração:

A vacinação é um tema importante e intemporal. A ciência é completamente clara: as vacinas funcionam e são importantes para a saúde de todos na nossa comunidade.”

 
Assine um ano por 79,20€ 44€

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Já é assinante?
Apoio a cliente

Para continuar a ler assine o Observador
Assine um ano por 79,20€ 44€
Ver planos

Oferta limitada

Já é assinante?
Apoio a cliente

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Apoie o jornalismo. Leia sem limites. Verão 2024.  
Assine um ano por 79,20€ 44€
Apoie o jornalismo. Leia sem limites.
Este verão, mergulhe no jornalismo independente com uma oferta especial Assine um ano por 79,20€ 44€
Ver ofertas Oferta limitada