Em comunicado, a leiloeira P55 afirma que a tela, a preto e branco, é uma “obra rara” que “está assinada na frente e no verso”, e fazia parte da coleção particular do pintor, falecido em agosto último, aos 75 anos.

Justino Alves, natural do Porto, foi professor na Faculdade de Belas-Artes de Lisboa. Bolseiro da Fundação Gulbenkian, em 1976, foi desenvolvendo a sua carreira de pintor a par da de docente, mostrando o seu trabalho em mais de 20 exposições individuais e 60 coletivas, tendo sido a sua obra distinguida com vários prémios nacionais, entre os quais o Nacional de Pintura, em 1969.

À praça, hoje à noite, vão 250 peças, três delas da coleção do artista plástico Manuel Cargaleiro, “destinadas a suscitar atenção”, escreve a leiloeira.

A primeira peça deste artista, natural de Chão das Servas, em Vila Velha de Ródão, na Beira Baixa, é “um quadro em papel artesanal datado de 1974 com uma base de licitação de 3.500 euros”, seguindo-se o quadro “Lumière des Fleurs”, assinado e datado de 1985, com uma base de licitação de 6.000 euros. “Esta segunda obra esteve em exibição na Galeria Nazoni, em Lisboa, em outubro de 1990”, refere a mesma fonte.

A terceira peça de Manuel Cargaleiro, de 88 anos, que vai à praça, é “um quadro em papel artesanal e com a base de licitação nos 3.500 euros”.

Neste leilão, destaca-se, segundo a P55, “outra presença rara em leilões, a do pintor flamengo David Teniers, o Jovem (1610-1690), artista do período barroco”, do qual será levada à praça a tela “Scene in an Inn”, cuja base de licitação é de 9.000 euros.