Passou pelos desejos de Ano Novo de muita (mesmo muita) gente. Na meia-noite que marcou o dia 1 de janeiro, muitos estavam completamente motivados a perder aquele pneu a mais que se segurou ao corpo com garras e dentes à conta das babas de camelo de domingo ao almoço. “É desta: a partir de amanhã começo a fazer dieta”.

Sejamos honestos: o dia oficial das mentiras não devia ser o 1 de abril. Por dois motivos: primeiro porque “amanhã” – que é como quem diz, dia 2 de janeiro – ainda há muitos salgadinhos e mousses de chocolate em cima da mesa para sabermos resistir a tamanha tentação (então espera-se pela segunda-feira, por exemplo). E depois porque, como afirma a marca de suplementos Forza Supplements, essa é uma promessa que não costuma durar mais do que dez dias, escreve o El Confidencial.

Esta marca norte-americana perguntou aos seus clientes em que momento decidiram iniciar a dieta e quando é que a fase “morra a fora, fora o pão” seria, segundo os seus planos, deitada por terra. E descobriram que 47% deles tinha tido um deslize na dieta ao fim de dez dias do início, enquanto a restante percentagem já se tinha entregado às tentações ao fim de oito dias. Mas o resultado mais impressionante foi o momento exato em que deixamos de ser mentalmente resistentes aos doces, ao álcool – e ao sofá em vez de ir para o ginásio com esta chuva toda a cair: a primeira sexta-feira depois do fim da época oficial das festas.

Portanto, se é um dos que ainda foge ao chocolate quente acompanhado com um filme de sábado à tarde, marque no seu calendário o dia 15 de janeiro às 19h02. Mas marque-o a caneta vermelha e desenhe uma caveira preta com uma alface na boca: na próxima sexta-feira (em que já não há Bolo Rei à mesa nem bolas de Natal na sala) pode haver maior tendência a ganhar 500 gramas do que já perdeu ao longo dos últimos dias, porque só nesta altura é que aquele croquete ou a miniatura de pastel de nata que comeu na noite de Passagem de Ano vão dizer de sua justiça.

Mas estes não são os únicos motivos apontados pela Forza Supplements ao Daily Mail: agora que o Natal já passou e fazemos contas aos tostões que sobraram das festividades, o mau humor pode exigir que se recorra à tablete de chocolate misericordiosamente guardada para casos de emergência. Isso e o mau tempo ou o regresso ao stresse do trabalho, que também podem não ajudar. Pelo menos, estes são os motivos apontados por 24% dos inquiridos. Quase 18% deles admite que o facto das roupas de inverno serem mais largas pode também servir de desculpa para a derrapagem na dieta, porque a gordura corporal fica mais escondida e o conforto leva-nos a relaxar e a ceder à tentação.