Obesidade é sinónimo de epidemia mundial. Uma das soluções administradas aos pacientes pode passar pela toma de medicamentos e é precisamente aqui que entram as fezes. Um grupo de investigadores está a estudar a possibilidade de comprimidos feitos de matéria fecal ajudarem no tratamento da obesidade.

A investigação é conduzida por membros do Hospital General Massachusetts, em Boston, e é descrita pelo US News. Os investigadores acreditam que as bactérias dos intestinos de pessoas magras podem ajudar as pessoas com obesidade a perder peso.

A ideia é começar por analisar os efeitos dos micróbios dos intestinos de pessoas magras e com metabolismo saudável quando “ingeridos” por pessoas com obesidade e/ou com sensibilidade à insulina. E como é que será feita a passagem? Os cientistas vão congelar as fezes dos dadores e depois transpor o material em comprimidos, que serão depois tomados por via oral pelos pacientes.

“Vários resultados sugerem que a flora intestinal desempenha um papel importante na regulação do metabolismo humano. Um deles apresenta mudanças no peso, na sensibilidade à insulina e na composição da gordura corporal”, lê-se na apresentação do estudo.

Quanto às perguntas que já está a fazer… aqui está a resposta. “Os comprimidos não têm cheiro nem sabor e são duplamente encapsulados para assegurar que não serão absorvidas antes de chegarem ao sítio certo, ou seja, ao intestino grosso”, explica Elaine Yu, a principal investigadora envolvida no projeto. Mas a responsável apressa-se a sublinhar: “Ainda não sabemos quais vão ser os resultados do estudo. Não quero alimentar qualquer tipo de frenesim”.