Um total de 2,5 milhões de pessoas perderam emprego no Brasil entre meados de 2014 e 2015, segundo informações divulgadas hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No final do terceiro trimestre de 2015, 9,1 milhões de pessoas estavam à procura de emprego no Brasil, uma subida de nove por cento em relação ao período entre março e junho.

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua do IBGE indica que o número de pessoas que procuram emprego sem sucesso é o maior registado no país desde 2012, quando o instituto de estatísticas começou a divulgar mensalmente estes dados.

No segundo trimestre de 2015, a população desocupada era de 8,6 milhões.

Hoje, a Presidente brasileira, Dilma Rousseff, disse que o aumento do desemprego é a grande preocupação do governo, prometendo o empenho do executivo no combate a este problema.

“É o que nós olhamos todos os dias, é aquilo que requer atenção do governo”, disse Dilma Rousseff, num encontro hoje com os jornalistas.

Os dados do IBGE também indicam que o número de empregados com contrato caiu 1% em comparação com o trimestre anterior e 3,2% em relação ao mesmo período de 2014.

A população ocupada no país manteve-se estável em 92,3 milhões bem como o rendimento médio real, na ordem dos 1.895 reais (432 euros).