O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, instou o primeiro-ministro a aumentar ainda mais os rendimentos dos pensionistas, mas António Costa afirmou não haver condições para “ir mais longe” durante o ano de 2016.

Durante o debate quinzenal que decorreu hoje na Assembleia da República, o deputado Jerónimo de Sousa questionou o Governo acerca do aumento das pensões e reformas.

“Depois de anos de congelamento da grande maioria das pensões, e os cortes vários e por várias vias do seu valor – particularmente nestes últimos quatro anos – a decisão de descongelamento pelo seu Governo é claramente insuficiente, tendo em conta a elevada perda do poder de compra verificado”, afirmou o deputado.

Em resposta, o primeiro-ministro referiu que o Governo também gostaria de “poder ir mais longe”, não havendo, porém, condições para tal.

“Gostaríamos de ir, sim, gostaríamos de poder recuperar nos anos futuros, sim, mas neste ano de 2016, neste condicionamento, não temos condições de poder assumir que iremos mais longe do que aquilo que fomos e que anunciámos ir”, sublinhou Costa.