Foi recusado visto de entrada em Portugal a dois atletas ucranianos, Roman Nepota e Iaroslav Blajko, várias vezes campeões da Ucrânia de Jiu Jitsu. Os atletas pretendiam autorização de entrada em Portugal com vista à participação no Campeonato Europeu da Modalidade, que se realiza entre 20 e 24 janeiro em Odivelas.

Evgueni Skirda, treinador ucraniano dos atletas, declarou o que lhes foi dito no consulado português: “não confiamos que voltem e, por isso, não irão! Os desportistas leem regularmente a informação nos media sobre a ‘integração europeia, facilitação do regime de vistos e regime sem vistos para breve’, mas o povo ucraniano é descaradamente enganado.”

Os desportistas organizaram esta manhã um piquete junto ao edifício da Embaixada de Portugal na Ucrânia e, ao fim do dia, acabaram por receber o tão esperado visto.

Segundo apurou o Observador, junto de uma fonte do Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE), os atletas ucranianos realizaram dois pedidos de visto junto da Secção Consular da Embaixada Portuguesa em Kiev.

O primeiro pedido de visto foi recusado porque um dos requisitos necessários ao processo — uma prova que ateste que quem solicita o visto tem uma fonte estável de subsistência na Ucrânia — não foi preenchido. Os praticantes de Jiu Jitsu “apresentaram-se como trabalhadores de uma empresa ucraniana” que a embaixada veio a confirmar “que não existia”, disse a mesma fonte.

Após recusa desse primeiro pedido, os atletas voltaram a apresentar um novo pedido de visto apresentando um email que confirmava a inscrição no campeonato. Os funcionários da representação portuguesa em Kiev confirmaram a veracidade da inscrição e fizeram seguir o processo de pedido de visto para instâncias superiores, explicou ao Observador a fonte do MNE.

O pedido foi reencaminhado porque o “processo na primeira fase do pedido do visto foi irregular”. O treinador organizou a manifestação em frente da representação de Portugal na capital da Ucrânia com vista a acelerar o processo, dada a proximidade do evento desportivo, acrescentou fonte do MNE.

Para além dos dois atletas a quem numa primeira fase foi recusado o visto, Roman Nepota e Iaroslav Blajko, a comitiva ucraniana é composta por um terceiro atleta, Oleg Poloz.

Evgueni Skirda comunicou que, ao fim da tarde, toda a delegação ucraniana recebeu visto no consulado português.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR