Um novo balanço hoje divulgado na capital do Burkina Faso refere que 29 pessoas foram mortas e 30 feridas no ataque de um comando ‘jihadista’, na sexta-feira, contra um hotel e restaurante de Ouagadougou, frequentado por estrangeiros. O balanço anterior emitido pelas autoridades locais referia-se a 26 mortos.

A maioria das vítimas são brancos, indicou uma fonte próxima do procurador, que também se referiu à morte de cinco nacionais do Burkina Faso. O ministro suíço dos Negócios Estrangeiros disse ainda hoje que dois suíços foram mortos no ataque.

Segundo o ministro da Segurança interna, Simon Compaoré, os corpos de três ‘jihadistas’, todos homens, já foram identificados, precisando que os assaltantes eram “muito jovens”. “Aqueles que os viram calculam que eram muito jovens, o mais velho não deveria ter mais de 26 anos”, declarou o ministro, antes de adiantar que o grupo atacante chegou ao hotel em veículos com matrículas do Níger.

Uma fonte da segurança tinha antes evocado a presença de pelo menos quatro ‘jihadistas’, incluindo duas mulheres. Por sua vez, “176 pessoas puderam ser socorridas. A maioria foi libertada após interrogatório”, precisou Compaoré. Na noite de sexta-feira os ‘jihadistas’ atacaram o restaurante Capuccino e o hotel Splendid, frequentados sobretudo por ocidentais. Foram necessárias 12 horas às forças da ordem para assumirem o controlo da situação, na manhã de hoje.