A Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) afirmou este sábado que o Irão já deu os passos necessários para começar a implementar o acordo nuclear e levantou as sanções internacionais contra o país, avança a BBC. Para o diretor da instituição, Yukiya Amano, hoje é “um dia importante para a comunidade internacional”.

“A União Europeia e os Estados Unidos da América decidiram levantar as sanções contra o Irão”, afirmou Federica Mogherini, chefe da diplomacia europeia, depois da reunião deste sábado com o ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão, Mohammad Javad Zarif.

Ressalvando que as entidades internacionais vão continuar a monitorizar e supervisionar se o Irão cumpre com todas as partes do acordo, tal como foi ratificado em julho de 2015, Mogherini afirmou que este era um “acordo histórico, forte e seguro, que vai ao encontro das exigências de todas as partes”.

“A implementação deste acordo vai ser decisiva para a paz internacional. Para a sua estabilidade e segurança. Esta conquista mostra claramente que a vontade política, a perseverança e a diplomacia conseguem resolver os problemas mais difíceis”, disse a chefe da diplomacia europeia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Mohammad Javad Zarif, já tinha dito em Viena que as sanções relacionadas com a questão nuclear no seu país seriam levantadas durante o dia. Zarif encontrou-se em Viena com o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, e a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini.

O acordo nuclear foi assinado em julho, mas só este sábado a AIEA divulgou as conclusões do relatório que diria se o país cumpria com os compromissos acordados. O acordo previa, por exemplo, que o Irão reduzisse drasticamente o número de centrifugadores e desmantelasse um reator de água pesada (semelhante à água normal, mas com átomos de hidrogénio mais pesados), que poderia ser utilizado para criar armas nucleares.

Com as sanções levantadas, o Irão volta a poder vender petróleo internacionalmente, descongelando milhares de milhões de dólares em ativos.