Militantes do Estado Islâmico sequestraram mais de 400 civis em Deir ez-Zor, na Síria, depois de terem atacado a cidade e causado, pelo menos, 135 mortos. A informação foi avançada pelo Observatório para os Direitos Humanos na Síria, citada pelo The Guardian. Entre as vítimas mortais estão 85 civis e 50 combatentes do regime.

“Entre os sequestrados, que são todos sunitas, estão mulheres, crianças e membros de combatentes pró-regime sírio”, disse o diretor do Observatório, Rami Abdel Rahman. Durante o ataque, as forças pró-regime mataram 42 militantes do Estado Islâmico, apoiados por ataques aéreos do exército russo. A agência de notícias síria, Sana, diz que morreram mais de 300 civis, mas esse número não foi confirmado pelas autoridades.

A cidade de Deir ez-Zor é rica em petróleo – uma das principais fontes de financiamento do Estado Islâmico – e quase totalmente controlada pelo grupo terrorista. Existem apenas algumas zonas que permanecem sob o poder das forças do presidente sírio, Bashar al-Assad.