Pelo menos quatro pessoas morreram num atentado suicida realizado pelo grupo extremista Boko Haram numa mesquita em Nguetchewe, na região norte dos Camarões e próximo da fronteira com a Nigéria, informou uma fonte do exército camaronês.

“Às 06:10 (05:10 em Lisboa), um rapaz com cerca de 12 anos foi identificado por membros do comité de vigilância, que pediram ao jovem que tirasse o seu casaco, mas ele recusou. Então, correu pela mesquita e detonou o explosivo”, relatou um soldado que estava na zona da explosão, confirmando ainda que a criança morreu.

Este novo atentado aconteceu pouco dias depois de outro suicida se ter imolado durante as rezas matinais numa mesquita em Kouyapé, também no norte dos Camarões, matando outras 13 pessoas.

O grupo terrorista nigeriano Boko Haram, depois do início das operações da força multinacional de segurança, aumentou os ataques suicidas na região do lago do Chade, uma zona difícil de controlar pela porosidade das fronteiras entre a Nigéria, os Camarões, o Chade e o Níger.

No entanto, no caso dos atentados realizados por crianças, as forças de segurança camaronesas trabalham com a hipótese de que o Boko Haram utiliza crianças e adolescentes para que carreguem os explosivos, mas é um militante que detona os engenhos à distância.

Desde 2013, os ataques do Boko Haram nos Camarões mataram 1.098 civis, 67 militares e três polícias, segundo informou o ministro da Comunicação e porta-voz do Governo, Issa Tchiroma Bakary.