Rohan Silva e Sam Aldenton vão abrir uma Second Home Lisbon. Aquela que é considerada a incubadora para startups mais cool de Londres chega a Lisboa em 2016, no mesmo ano que a capital portuguesa recebe o maior evento de empreendedorismo, inovação e tecnologia da Europa, a Web Summit.

“O Second Home é um projeto de primeira linha, de máximo ‘pedigree’ e o facto de os fundadores escolhido Lisboa como uma das suas geografias de eleição é ótimo. É um sinal muito positivo para o ecossistema português. E foi uma honra terem pedido a opinião da Faber Ventures para este projeto”, explicou ao Observador Alexandre Barbosa, administrador executivo da capital de risco Faber Ventures.

A notícia foi avançada pelo TechCrunch, no dia em que a Second Home anunciou que levantou uma ronda de investimento de 10,7 milhões de dólares, cerca de 9,8 milhões de euros. A incubadora lançada em 2013 tornou-se num ícone para negócios ligados à tecnologia e indústrias criativas.

https://twitter.com/MerelyBlink/status/670012431863713792?lang=en

“Agora, Lisboa parece a parte este de Londres, antes de o cluster tecnológico ter explodido. É uma cidade super criativa, mas não tem sítios suficientes para reunir estas pessoas. Simultaneamente, as grandes empresas estão a encolher, há mais pessoas a empreender e o ambiente da cidade tem de evoluir para acompanhar este ritmo”, adiantou Rohan Silva, que antes de lançar a Second Home foi conselheiro do primeiro-ministro britânico, David Cameron.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

De acordo com o que Rohan Silva divulgou no Twitter, a Second Home Lisbon abre em maio. Sabe-se também que os empreendedores incubados em Lisboa podem frequentar o espaço londrino sem custos. O editor do TechCrunch, Mike Butcher, escreve que os fundadores da Second Home vão juntar-se ao “ecossistema de empreendedorismo florescente” que está a contagiar Lisboa.

A Second Home é inspirada em três premissas: que as coisas boas acontecem quando pessoas, indústrias e ideias diferentes colidem, que deve haver maior equilíbrio entre as pequenas e grandes empresas, e que as cidades devem evoluir para acompanhar as mudanças estruturais na economia. No próximo ano, os objetivos passam por abrir uma Second Home Los Angeles.