As empresas brasileiras Petrobras e Vale perderam em oito anos o correspondente a mais de 80% do seu valor de mercado, anunciou hoje a consultora Economatica, especializada em informações financeiras. Segundo a Economatica, as ações da Petrobras e da Vale desvalorizaram, respetivamente, 85,55% e 86,99%, na bolsa brasileira (BM&FBovespa) nos últimos oito anos.

Os dados destacados pela pesquisa mostram que a Petrobras registou a maior perda em valor nominal (que corresponde à soma de todas as suas ações) no período em referência. A máxima histórica dos papéis da companhia aconteceu no dia 21 de maio de 2008, quando somavam 510,3 mil milhões de reais (115 mil milhões de euros).

A 18 de janeiro de 2016, as mesmas ações valiam 73,7 mil milhões de reais, registando uma desvalorização de 436,6 mil milhões de reais em comparação ao seu recorde histórico. Já a Vale perdeu 280,9 mil milhões de reais entre a máxima de 322,9 mil milhões de reais, registada no dia 16 de maio de 2008 e o dia 18 de janeiro de 2016, quando os papéis da empresa correspondiam apenas a 41,9 mil milhões de reais.

Fazendo um breve recorte das empresas listadas no Ibovespa, principal indicador da bolsa brasileira, a consultora avaliou que 28 das 57 empresas que integram o índice perderam mais de 50% do seu valor de mercado desde que atingiram o seu valor historicamente mais elevado.